Como garantir a segurança em condomínios?

6 minutos para ler

Segurança em condomínios é um dos fatores que exige mais atenção dos síndicos durante a gestão. Como são diversos moradores, é comum esses empreendimentos terem uma grande movimentação, exigindo cuidado redobrado para que ninguém seja prejudicado.

Além disso, a segurança costuma ser uma das características consideradas pelas famílias na hora de adquirir esse tipo de imóvel. Porém, tornar o condomínio um local mais seguro exige diversas medidas e a colaboração de todos.

Quer saber como fazer isso? Neste post, separamos as principais dicas de como garantir a segurança em condomínios. Acompanhe!

Contrate funcionários qualificados

No geral, é comum precisar contratar funcionários para trabalhar no condomínio para atividades de limpeza, conservação e portaria. Para ter mais segurança, é importante investir em um bom processo seletivo, pesquisando qualificações, indicações de empregos anteriores e habilidades de cada um.

Principalmente em relação ao porteiro, que lida com o acesso de moradores, visitantes e entregadores, um treinamento específico se torna essencial para aumentar a segurança em condomínios e evitar problemas — como a entrada de pessoas estranhas e outras atitudes que facilitam a ação de bandidos.

Uma dica é procurar empresas especializadas nesse tipo de serviço e terceirizar a contratação. Assim, você garante que terá pessoas qualificadas exercendo as funções, além de reduzir os custos e a burocracia envolvidos nesse tipo de contrato.

Instale cercas elétricas

As cercas elétricas são uma alternativa bastante conhecida quando o assunto é segurança em condomínios. Instaladas nos muros e portões do empreendimento, elas têm um funcionamento simples: a central envia um pulso que percorre todo circuito pelo fio de aço e retorna para a central. Sempre que alguém encosta na cerca, o pulso não retorna à central, gerando um alerta.

O sistema também causa choques, com tensão elétrica entre 8.000 e 12.000 volts, que não é suficiente para causar a morte, mas é o bastante para inibir a ação de bandidos. Contudo, vale ressaltar que o equipamento deve ser adquirido com empresas de confiança e que sigam a regulamentação legal sobre a instalação.

Tenha um sistema de alarmes

O sistema de alarmes também é sempre uma ótima alternativa quando o assunto é segurança. Ele pode ser instalado com ou sem a contratação de uma empresa de vigilância 24 horas, dependendo das necessidades do contratante.

Os alarmes são boas opções para serem instalados em áreas coletivas, mas os moradores também podem optar pela instalação individual nos seus apartamentos caso achem necessário — nessa situação, os custos também serão individuais.

O alarme conta com sensores de movimento que, quando acionados, disparam um alerta ao detectar qualquer movimentação. Aqui, o funcionamento varia. Ele pode estar conectado aos telefones do síndico ou da empresa de vigilância (se for o caso), emitindo ou não um alerta sonoro. O apoio profissional é relevante para definir as melhores alternativas para o seu condomínio.

Adquira câmeras de segurança

Os circuitos internos de vigilância são uma ferramenta bastante importante para a segurança em condomínios. Ela permite o acompanhamento da movimentação em todas as áreas de circulação e de uso comum em tempo real. Assim, é possível detectar acesso de pessoas estranhas, controlar os acontecimentos e identificar situações de emergência.

Como as imagens ficam registradas, também é possível utilizá-las na tentativa de reconhecer bandidos e investigar outras ocorrências que aconteçam nas dependências do condomínio. Atualmente, a polícia conta com ferramentas modernas de identificação facial que podem ser usadas em conjunto com as filmagens feitas pelo circuito interno.

No entanto, é crucial ficar atento à legislação sobre o assunto, de modo a não causar constrangimento a moradores ou funcionários do condomínio. Além disso, é preciso sinalizar os locais em que há câmeras, informando que o ambiente está sendo filmado. As gravações também devem ser armazenadas em um local seguro, para evitar que sejam furtadas e prejudiquem eventuais investigações.

Conte com a tecnologia como aliada

Além das ferramentas já citadas, cada vez mais a tecnologia é usada para trazer comodidade e segurança. Existem diversas opções que podem ser usadas para deixar o condomínio mais seguro. Por exemplo:

  • portões eletrônicos — evitam que os moradores precisem sair do veículo e contam com temporizador para fechá-los em caso de esquecimento;
  • sensores de luz automáticos — evitam que as pessoas precisem encontrar interruptores para iluminar o local, reduzindo o risco de acidentes;
  • alarmes sonoros nas entradas — alertam sobre portas ou portões que ficaram abertos;
  • ferramentas de gestão — auxiliam a controlar pagamentos, manutenções pendentes e outros aspectos importantes;
  • botões de pânico — aplicativos ou campainhas instalados para que os moradores enviem alertas de segurança.

Não faltam opções no mercado, portanto vale a pena pesquisar as ferramentas tecnológicas e avaliar as que podem trazer benefícios para o condomínio. As alternativas e os orçamentos podem ser discutidos nas assembleias para que os moradores opinem sobre as soluções mais adequadas.

Invista na gestão do condomínio

Todas as medidas citadas são importantes para a segurança em condomínios, mas podem não ser suficientes se o síndico não investir em uma boa gestão. Existem alguns cuidados essenciais que envolvem a administração e todos os moradores. Veja alguns exemplos:

  • ter um sistema para identificar visitantes;
  • contar com um plano de carreira para incentivar o bom trabalho dos porteiros;
  • investir em medidas para reduzir a rotatividade de funcionários.

As normas do condomínio também devem prever algumas medidas de segurança a serem observadas pelos moradores, sendo fundamental lembrá-las com frequência e afixá-las em locais de fácil acesso. Confira algumas regras comuns previstas nas convenções e regimentos internos:

  • receber as encomendas na portaria;
  • ter atenção ao abrir os portões para evitar a entrada de estranhos;
  • informar sobre os visitantes, para facilitar o controle da portaria;
  • não deixar os portões abertos;
  • não dar a chave de acesso para terceiros.

É preciso conscientizar os moradores sobre a importância de seguir as medidas de segurança e as regras internas, inclusive informando seus visitantes sobre as melhores práticas. A colaboração de todos é fundamental para ter bons resultados no condomínio.

Como vimos, existem diversas medidas que você pode adotar para melhorar a segurança em condomínios. Contudo, lembre-se de que, em um ambiente coletivo, é crucial contar com a participação de todos, incluindo moradores, funcionários e visitantes.

Gostou das nossas dicas? Conhece outras formas para deixar o condomínio mais seguro? Compartilhe com a gente nos comentários!

Posts relacionados

Deixe uma resposta